Gestão de risco: a continuidade do negócio

Todas as empresas estão expostas a riscos. O risco é um evento que pode ser tanto interno quanto externo, e pode trazer transtornos ao negócio. Para reduzir os impactos causados por essas ameaças ou evitá-los, as empresas precisam desenvolver a gestão de risco. Porém. como aplicar a gestão de risco à sua empresa?

Fonte: Shuttersotck.

A gestão de risco corporativa tem como foco controlar, identificar e prevenir situações que possam comprometer as rotinas. Portanto, uma boa gestão de risco deve possibilitar que uma empresa seja capaz de identificar suas vulnerabilidades e os fatores que podem ter maior impacto em sua produtividade, bem como desenvolver estratégias para evitar ou  solucionar problemas.

A adoção de políticas e metodologias são iniciativas importantes para auxiliar na identificação e prevenção de problemas. Além disso, reduzem as chances de falhas e interrupções no fluxo de trabalho. A partir delas, os gestores poderão otimizar a segurança e a organização do negócio, visto que haverá uma melhor governança na empresa.

A forma como as empresas aplicam a gestão de riscos varia de acordo com suas necessidades e recursos disponíveis. Por isso, é sempre importante a contratação de uma consultoria especializada, pois a partir dela poderão ser rastreados aspectos que possam colocar em risco a continuidade do negócio.

Fonte: Pixabay.

A consultoria de LGPD da Trade Technology busca desenvolver o mapeamento completo do negócio, auxiliando a empresa na adequação à Lei Geral de Proteção de Dados e também na identificação de brechas que possam comprometer a cibersegurança, a privacidade, a governança dos dados.

No entanto, você sabe quais fatores mais podem gerar risco às empresa e como uma boa gestão de risco pode prevenir esses incidentes? Caso a resposta seja negativa, não se preocupe! Preparamos esse artigo para te mostrar como e onde você pode começar a sua gestão de risco. 

Gestão de riscos no TI das empresas

O setor de TI é o coração de uma empresa. A paralisação forçada dos sistemas, servidores ou a perda de dados poder colocar em perigo toda a continuidade do negócio.

O estudo da IBM, Cost of a Data Breach”, em 2019, apontou que 36,2% das empresas que sofreram vazamentos de dados tiveram prejuízos referentes à perda de negócios. Esse mesmo relatório mostra que as principais causas de vazamentos de dados acontecem em decorrência de ataques criminosos (51%), falhas no sistema (25%) e erro humano (24%).

No entanto, com uma boa gestão de risco as empresas podem alcançar um bom status de segurança. Uma empresa que leva a sério a cibersegurança não deixa brechas para invasores e possui gestores comprometidos em minimizar erros e manter o negócio em alta performance. 

No entanto, quando a gestão de risco não está bem consolidada ou não existe, as empresas ficam expostas a todo o tipo de falhas. Portanto, caso alguma situação danosa ocorra, não haverá uma ação resposta para reduzir o estrago causado. 

Gestão de risco para ciberataques

Fonte: Freepik.

Uma boa infraestrutura de TI deve conter equipamentos e softwares de qualidade, um Centro de Operações de Rede (NOC) proativo e profissionais preparados para prestar suporte quando necessário. Essa estrutura é fundamental para reduzir riscos de ciberataques. 

Outro aspecto da gestão de risco é a adoção de boas práticas e arquiteturas que reflitam na segurança dos ambientes de TI, tais como: criptografia, mascaramento, políticas de acesso, firewall, licenças, segurança de senhas, entre outros.

Ter um serviço de NOC proativo é essencial para a detecção e prevenção de problemas, pois o time estará sempre preparado para tomar ações ou emitir alertas quando o sistema apresentar falhas, comportamentos estranhos ou vulnerabilidades a ameaças.

A Trade Technology tem uma excelente estrutura de NOC, que monitora e gerencia de forma proativa seus hardwares, softwares e usuários, visando a prevenção ao risco e a alta performance do seu ecossistema de TI.

A integridade dos dados também pode ser assegurada pela qualidade da infraestrutura. Ter um Plano de Disaster Recovery é indispensável para empresas que buscam solidez em seu ambiente digital. Ele permite recuperar os dados e os serviços de TI de forma segura, logo após um incidente externo. 

O backup também é outra medida de segurança indispensável para a continuidade do negócio. Ele deve ser realizado e testado periodicamente, para garantir que as cópias de dados e outros recursos estejam íntegros e funcionais. Existem muitas empresas especialistas em backup e restauração, como a Trade Technology.

Gestão de risco para falhas de softwares

A perda de dados pode afetar significativamente uma empresa, podendo ser o fator chave para seu fechamento, e a falha de software é uma das principais causas para essa situação.

Fonte: Freepik.

Os softwares podem apresentar falhas, que são chamadas de bugs. Essas anomalias podem gerar transtornos como o comprometimento das rotinas,  devido a paralisações, perdas e exposição de dados. A partir disso, a gestão de risco deve ser realizada para evitar que esse tipo de situação ocorra. 

Uma alternativa é manter sempre os softwares atualizados. As empresas fabricantes de softwares desenvolvem patches e mecanismos de segurança que são disponibilizados aos usuários por meio de updates periódicos. Manter um software desatualizado é ter uma porta de entrada para um hacker.

Os cibercriminosos passam parte do tempo desenvolvendo softwares maliciosos (malwares, ransomware, spywares, entre outros), com base nas versões mais antigas do software que será invadido. Por isso, a chegada de novas versões dificulta o sucesso do ataque, visto que as vulnerabilidades buscadas no sistema que já foram corrigidas.

Adquirir licenças de empresas com boas referências no mercado também reforça a segurança. Isso ocorre devido ao constante envio de atualizações e correções de bugs, o que pode reduzir a possibilidade de ataques cibernéticos, assim como erros do sistema.

Caso as suas licenças estejam desatualizadas, entre em contato com a  Trade Technology. Temos excelentes parcerias e trabalhamos com licenças IBM, Oracle, Microsoft, AWS, VMware, Veeam, Commvault, Linux, Fortinet, entre outras. Nossa equipe estará preparada para fornecer todo o suporte necessário para o seu negócio.

Gestão de Risco para erro humano

A gestão de risco deve desenvolver políticas e metodologias que ajudem a reduzir problemas ocasionados por falha humana. A falha humana pode acontecer por diversos fatores, como falta de atenção, falta de treinamento, falta de normas bem estabelecidas ou até de forma intencional.  

Fonte: Shutterstock.

O relatório “O estado da cibersegurança industrial em 2019” da Kaspersky, mostra que ações não intencionais ou erros de funcionários são responsáveis por 33% dos incidentes que afetaram as redes de tecnologia operacional e sistemas de controle industrial.

Para evitar situações como essa as empresas devem desenvolver, na gestão de risco, políticas de controle sólidas sobre os acessos e permissões dos usuários. Com isso, os gestores terão maior controle sobre quem poderá modificar ou remover arquivos dos sistemas internos. 

A política de segurança se trata de uma documentações contendo instruções, procedimentos e medidas que devem ser tomadas para reduzir os problemas de segurança e melhorar o compliance da organização. Elas deverão ser seguidas por todos os colaboradores e fiscalizadas pelos responsáveis em manter o nível de segurança da empresa elevado.

Segundo o Artigo 41 § 2 da LGPD, todas as empresas que coletam, armazenam ou fazem uso de dados pessoais devem ter um profissional encarregado da segurança dos dados, o DPO (Data Protection Officer). Seu papel exige a gestão de dados através da arquitetura de dados, provendo um mecanismo de segurança eficaz. 

A Trade Technology oferece o serviço de DPO em formato de terceirização (DPO as a Service) e como mentoria, o DPO as a Mentory. O DPO as a Mentory é voltado para empresas que já possuem um profissional adequado para esse papel, mas ainda precisa de capacitação específica.

Fonte: Shutterstock.

Com relação à capacitação, a gestão de risco recomenda que os colaboradores realizem treinamentos para reduzir o risco de desastres por causados pelo mal uso da tecnologia. Além disso, deve existir a consolidação de uma cultura de conscientização sobre o tema cibersegurança, que deve abranger todos os setores da empresa. 

Os gestores têm um papel fundamental no sucesso da gestão de risco, pois devem assegurar o cumprimento das regras e a conformidade de seus setores. Sua ação ou omissão será determinante para a obtenção de bons resultados. 



×