Robôs já estão entre nós? Descubra

Robôs já estão entre nós

Pode ser que ao falarmos de robôs dividindo tarefas com humanos, você se lembre de um antigo desenho da década de 1960, “Os Jetsons”, no qual uma família convive harmoniosamente em um futuro completamente automatizado.  

Ou então, dos simpáticos robôs R2D2 e C3PO que compõem a saga “Star Wars” de 1977, e que roubam a cena em vários momentos.  

Outra referência são filmes como “AI, Inteligência Artificial”, 2001, e “Eu, Robô”, 2004, que à sua maneira, apresentam a figura do robô como seres dotados de personalidade, habilidades e claro, inteligência.  

E o que dizer de “Wall-E”, 2008, o robô carismático e solitário em um planeta Terra futurista e pós apocalíptico?

A ficção científica explorou essa temática durante séculos.  

Entretanto, longe da ficção e mais comuns do que se possa imaginar, robôs já estão entre nós – e não é de agora.  

Segundo a professora de Ciência da Computação da Universidade Tecnológica de Singapura, Vanessa Evers, vivemos em uma época em que robôs são parte do nosso dia a dia.

Afinal, robôs limpam nossas casas, dirigem veículos, desarmam bombas, apoiam em cirurgias, fabricam produtos, e claro, nos divertem, ensinam e surpreendem.

Inclusive, com viagens espaciais rumo a outros planetas, como é o caso do Perseverance, robô que está na superfície de Marte desde o início de 2021.

Quer mais exemplos de robôs que estão no nosso cotidiano? Alexa, a assistente virtual da Amazon, robôs que auxiliam na limpeza aspirando pó, aplicativos de rota como Waze e Google Maps, e até mesmo o seu próprio buscador online.

Claro, na lista acima são apenas algumas amostras de robôs que lidamos no cotidiano, entretanto, a robótica surge como algo cada vez mais palpável e muito real.

De fato, robôs são nossos novos assistentes em casa ou no trabalho.

O que definem os robôs?

Em resumo, um robô é uma máquina programável ​​construída para auxiliar humanos ou até mesmo imitar ações humanas.

Robôs foram originalmente construídos para lidar com tarefas monótonas e repetitivas (como construir carros em uma linha de montagem).

Essa automatização ganhou força com a Revolução Industrial no século 18.

Desde então, o uso de robôs se expandiu muito além das suas funções iniciais.

Atualmente, utilizamos robôs para atividades cada vez mais complexas e a tendência é que isso aumente ainda mais.

Assim, cada robô possui um nível diferente de autonomia e varia entre bots controlados por humanos até bots autônomos que realizam tarefas sem nenhuma influência externa.

E é sobre a automação de processos robóticos (RPA) que vamos falar a seguir!

Afinal de contas, o que é RPA?

A sigla RPA traduzida para o português, significa “automação de processos robóticos”, assim como falamos no parágrafo acima.

Essa sigla envolve automação de robôs de software, isto é, mais uma vez longe da ficção e mais perto dos nossos dias, são robôs que não imitam movimentos físicos humanos, isto é, não tem “corpo” ou “rosto”.

Porém, possuem “cérebro”, na verdade, inteligência artificial necessária para cada tipo de trabalho.

De modo que colocar um RPA para trabalhar em tarefas rotineiras não significa só economia de custos por meio da eficiência, mas também libera funcionários para que concentrem a atenção em prioridades mais valiosas para o sucesso do negócio.

Ou seja: investir em RPA é seguramente um bom caminho para tarefas que podem ser automatizadas, já funções que necessitem de raciocínio além da lógica são ideais para manter profissionais capacitados.

E, à medida em que esses robôs assumem o trabalho manual repetitivo e rotineiro, erros humanos que podem custar caro para uma operação são eliminados! Já pensou nisso?

Já que o trabalho feito por RPAs é preciso, exato e outra coisa: imune ao tédio das tarefas repetitivas.

Assim, RPAs realizam praticamente qualquer trabalho baseado em regras de automação por meio da interação com qualquer aplicativo de software ou site.

Você sabia que pode ter um RPA para chamar de seu?

A Trade Technology aposta em RPAs que melhorem a vida das pessoas e você pode conhecer mais dessa tecnologia clicando aqui!

Sim, robôs já estão entre nós

Agora que você sabe disso, que tal conhecer como RPAs podem ser úteis no seu dia a dia?

Podemos programar um RPA para:

  • Preencher planilhas e documentos sem risco de duplicidade ou erros;
  • Automatizar processos de cobrança com emissão de pagamentos e notas fiscais;
  • Otimizar fluxo e organização logística;
  • Checar níveis de estoque e suprimentos;
  • Chatbots com reconhecimento de voz e imagem para relacionamento com o cliente;
  • E não para por aí, são infinitas as possibilidades que podemos criar com RPAs! 

Afinal de contas, se robôs já estão entre nós, por que não usá-los da melhor maneira?

Gostou desse artigo? Siga a Trade Technology nas redes sociais e fique por dentro do que o mercado de tecnologia tem de mais atual sempre! Estamos no Facebook, Instagram e LinkedIn.