Como o RPA pode ajudar na adequação à LGPD

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) está em vigor e muitas empresas ainda não iniciaram sua jornada rumo à conformidade. A pesquisa desenvolvida pela EY e ABES, com mais de 400 empresas brasileiras, mostra que 64% delas não estão em conformidade com a LGPD.

Fonte: Shutterstock.

Nesse mesmo estudo, também foram avaliados setores específicos da economia, revelando que o agronegócio é o que está menos adequado aos pontos exigidos pela Lei, atingindo apenas 13% no índice de conformidade LGPD.

Também foram considerados setores como o de bens de consumo, que apresentou 52% de adequação à LGPD. A área de tecnologia, mostrou o índice de 39% e, por fim, o setor de varejo registrou o melhor desempenho, atingindo 82% em seu nível de compliance com a Lei.

Esta pesquisa mostra que as empresas ainda têm um longo caminho a percorrer para cumprir as normas da Lei. No entanto, a LGPD já está em vigor a LGPD, o que possibilita que uma empresa sofra ações judiciais por atos contra a segurança de dados.

Uma excelente alternativa para auxiliar as empresas na adaptação aos requisitos da LGPD é a utilização de softwares e sistemas de automação de processos, como o RPA (Automação Robótica de Processos). Com o RPA é possível automatizar tarefas em diversos setores das empresas e em diferentes segmentos de negócio.

A automação do RPA como reforço à LGPD

O RPA é uma ferramenta que simula a execução humana em trabalhos de rotina que geralmente demoram muito quando realizados manualmente. Esse software robô executa qualquer processo de negócio, de forma rápida e padronizada, 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Fonte: Pixabay.

A aplicação do RPA facilita a gestão e governança dos dados, pois como as tarefas são realizadas por robôs, sua execução passa a preservar requisitos de privacidade, com alta precisão, sem erros ou interferência humana.

 

O RPA gerar mais transparência no tratamento dos dados, pois cumpre as normas de segurança e ajuda na implementação de técnicas de anonimização de dados, ajustando os nomes reais para pseudônimos, mascaramento de informações financeiras, dentre outros.

Os robôs também podem emitir alertas e notificações sobre potenciais violações de dados, ajudando na segurança e preservação da informação. Essa aplicação pode minimizando os riscos de perdas e transtornos para a sua empresa.

O RPA também consegue verificar e gerenciar o consentimento do uso de dados pessoais ou sensíveis de forma consistente, mesmo que esses dados estejam espalhados por diferentes sistemas corporativos.

Além das aplicações já citadas, o RPA pode ser utilizado para ajudar na:

  • Coleta de informações para a realização de auditorias;
  • Gestão de consentimentos e respectivas revogações;
  • Gestão do ciclo de vida dos dados pessoais e sensíveis;
  • Gestão de consultas e solicitações de dados pessoais e sensíveis.

O uso do RPA auxilia no processo de adaptação à LGPD e traz mais agilidade e assertividade aos processos da empresa. De fato, o RPA é um excelente aliado no caminho para o compliance, pois reduz brechas na segurança dos dados, bem como erros decorrentes de atividades manuais nos processos.

No contexto da LGPD, os erros podem gerar gastos com multas, ações judiciais e vínculos negativos para a imagem da empresa. Além de reduzir os custos, no médio e longo prazo, na criação e manutenção procedimentos necessários para manter a conformidade com a Lei.

 

Para conhecer mais sobre o RPA, faça download do nosso e-book ou entre em contato com nossos especialistas. Trabalhamos com as melhores soluções em automação do mercado e oferecemos todo o suporte necessário para a implementação de novas tecnologia na sua empresa.

Além disso, conheça também a consultoria LGPD da Trade Technology. Realizamos todo o mapeamento de risco do seu negócio e desenvolvemos um plano de ação direcionado para aumentar a segurança física e digital da na empresa. 



×